domingo, 26 de abril de 2015

UMA DÚVIDA PARA A ETERNIDADE

Será que o FCP teria sofrido SEIS golos em Munique com o "novo" Helton na baliza?
Nada me move, bem pelo contrário, contra o mais jovem Fabiano, mas ele pode esperar.
Sempre achei que a carreira de Baía foi prematuramente posta em causa por pura inépcia do treinador de então - em prejuízo do jogador, do clube e do desporto. Helton ocupou o lugar de Baía cedo demais. Ainda bem que agora não vai, ao que julgo, acontecer coisa semelhante ao próprio Helton, que está a defender melhor do que nunca!!!
Para mim, Helton impôs -se, como um guarda redes de grande classe, a partir daquela época de ouro de André Villas Boas.
ABV é o meu verdadeiro "special one" (sem esquecer o outro, também de boa memória,  que faz parte da história do FCP, mas não é portista...).
AVB, tal como eu, teve a sorte de nascer portista.

Sem comentários:

Enviar um comentário